quarta-feira, 21 de outubro de 2009

VONTADE DE DEUS... QUE DESAFIO, NÉ?

Estou por aqui pensando e "matutando" sobre o conceito correto e bíblico de "vontade de Deus". Fico inclinado a aceitar o fato de que a maioria das pessoas acaba tendo uma visão um tanto fatalista dessa "vontade", e como resultado muitos tem trazido desgostos para si mesmos por não entenderem que a vontade de Deus é "boa, agradável e perfeita", segundo Romanos 12.2.

Vivemos em um tempo onde as pessoas querem a tudo custo fazer valer seus pensamentos, suas opiniões e suas ideologias. Ninguém quer "ficar por baixo". A posição de líderes espirituais tem sido trocadas por gurus de auto-ajuda ou ainda apresentadores de televisão. Vale o que se vê, não o que se crê. Um tempo de superficialidades e vazios interiores. São muitos que tem aparência de vivos mas já estão mortos há algum tempo. Talvez estejamos no tempo onde há ovelhas de Sardes no meio da igreja: "tens nome de que vives, e estás morto!", Apocalípse 3.1.

A vontade de Deus representa em primeiro plano os preceitos de um Deus que em santo amor tem governado todas as coisas. A base de seu reino é a sua vontade estabelecida por seu Palavra desde a criação, e que se manterá intacta até à consumação dos séculos! A vontade de Deus é o seu arbítrio, seus valores, seus conceitos, suas ordenanças que têm como referencial supremo não o nosso contentamento superficial, mas a entrega de nosso querer a Ele! Trata-se de uma entrega sacrificial: o que somos para o que Deus é; o temos para recebermos o que Deus tem; nossa inconsistência pela soberana vontade de um Deus amoroso e justo!

A vontade de Deus também tem o seu viés decretivo, ou absoluto. Significa que como Deus não tem conselheiros (Isaías 45.9) tudo o que Ele ordena, impreterivelmente acontecerá! Agora, tenho aprendido que quando fazemos a oração "faça a tua vontade", estamos dizendo, em outras palavras, "eu me submeto ao teu projeto para mim!". Há bençãos em nossa vida que só nos serão compartilhadas por respostas de orações, e isso já estava na mente de Deus desde a eternidade. Deus predestina os resultados, mas também os meios de nossas ações! Tudo faz parte de um programa divino onde nós temos a nossa liberdade valorizada pela determinação de um Deus criativo e santo!

Não temos motivos para temer pela vontade de Deus. Ela é a melhor para nós. Concordo com alguém que disse: "No fim tudo ficará bem. E se as coisas não estão bem, é porque ainda não é o fim!".

Termino com um trecho da poesia, "torna-me um cativo, Senhor" de George Matheson, o "pregador cego", que deixou-nos como legado sermões, poesias, hinos e livros ditados e escritos por sua irmã mais velha:

"Minha vontade não é minha própria,
até que tornes Tua;
se ela subisse ao trono de um monarca,
ela teria de resignar a sua coroa.
Minha vontade só fica firme,
em meio à estrondosa luta,
quanto em Teu peito se apóia
e descobre sua vida em Ti."

2 comentários:

Amanda disse...

☆ ☆ ☆

Ana Paula Esquivel disse...

Olá pastor queridão!
Quero destacar o 4º parágrafo...muito bom!
A paz!