segunda-feira, 12 de julho de 2010

SÓ UM AVIVAMENTO MUDA A CARA DESSE PAIS!

(Habacuque 3:2) - Ouvi, SENHOR, a tua palavra, e temi; aviva, ó SENHOR, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos faze-a conhecida; na tua ira lembra-te da misericórdia.

Sou um estudioso voraz dos movimentos avivalistas ao longo da história. Estou terminando minha dissertação de mestrado que tem o seguinte tema: "PALAVRA E PODER: Uma análise da relação entre a autoridade bíblica e alguns dos movimentos marcados por experiências genuinamente avivalistas."

Compreendo avivamento como “A obra do Espírito Santo no sentido de restaurar o povo de Deus a uma vida espiritual, testemunho e trabalho mais dinâmicos, mediante a oração e a Palavra, após profundo arrependimento por seu declínio espiritual. Os elementos permanentes do avivamento são a Palavra, a oração, o Espírito Santo e um Deus soberano que usa o ser humano como seu instrumento”. E essa definição eu devo ao historiador E.E. Cairns.

Quando olho criticamente para o espectro evangélico em nossa atualidade não posso me calar diante de "igrejas-impérios" que mantém relação com seus fiéis não como um rebanho, mas como uma empresa, logicamente os mesmos não são tratados como membros e sim como clientes. Elas são as igrejas que deram certo, pois faturam milhões por ano e ainda notabilizam seus fundadores com os títulos mais grandiloquentes, enquanto a grande massa os endeusa e praticamente os têm como semi-deuses! Não posso conceber avivamento nesse contexto onde os líderes lançam mão de seus microfones para prometer prosperidade a incautos que colaboram com mil reais para participarem de um clube funesto de propagadores do evangelho, ou como diria um ministério neo-pentecostal, a fim de serem "parceiros de Deus".

Avivamento é esvaziamento do ego, é o retorno do conceito de "igreja-rebanho", onde todos são amados e pastoreados por perto por um ou mais pastores que compõem uma equipe de sacerdotes (não de sumos!) que ministram a palavra de Deus a outros sacerdotes, isso para fazer valer o principio caro do "sacerdócio universal de todos os crentes", onde todos os homens tem o mesmo acesso a Deus, e isso não é prerrogativa de homem algum, por mais que alguns tem se inchado a ponto de exigerem que suas ovelhas lhe chame de "pai", como é o caso da Igreja Renascer em Cristo!

Fico perturbado quando vejo "igrejas-biroscas", de fundo de fundo de quintal, isso mesmo não é redundância, pois há congregações que se reúnem no fundo dos fundos justamente para ficar bem escondida e aconchegada nas residências de seus fundadores que nunca se põem ao trabalho para conquistar ovelhas novas, pois estão sempre em busca de pescar em outros aquários e quase sempre, com suas línguas ferinas a desferir críticas sobretudo às igrejas mais antigas na região. Isso é avivamento? Não! É carnalidade mesmo!

O avivamento, por sua vez estabelece o princípio da unidade com base na centralidade da Palavra de Deus e não através de conchavos políticos em vésperas eleitorais. A igreja evangélica em muitos lugares precisa deixar de ser "curral eleitoral", onde se poderia cantar (e isso chega a ser gritante!) a música composta por Zé Ramalho: "Vocês que fazem parte dessa massa. Que passa nos projetos, do futuro. É duro tanto ter que caminhar
E dar muito mais, do que receber. E ter que demonstrar, sua coragem.
A margem do que possa aparecer. E ver que toda essa, engrenagem.
Já sente a ferrugem, lhe comer. Eh, ôô, vida de gado. Povo marcado, ê
Povo feliz. Eh, ôô, vida de gado. Povo marcado, ê. Povo feliz!"

Só um avivamento genuíno muda a história do evangelho desse país! Enquanto esse dia não chega vou sonhando acordado em um dia poder descrever nesse blog aquilo que Jonathan Edwards pôde viver no século XVIII nos Estados Unidos, naquele que foi conhecido como "Primeiro Grande Despertamento": "Essa obra de Deus, à medida que se multiplicou o número dos verdadeiros santos, logo produziu uma gloriosa transformação na cidade, de modo que na primavera e verão seguintes (ano de 1735), a cidade parecia estar cheia da presença de Deus. Ela nunca esteve tão cheia de amor e de alegria, e no entanto tão cheia de angústia, como esteve então. Houve notáveis sinais da presença de Deus em quase todos os lares. Foi uma ocasião de alegria nas famílias por causa da salvação que chegou até elas... Mais de 300 almas foram levadas a Cristo de modo redentor, nesta cidade, no espaço de meio ano... Eu espero que a grande maioria das pessoas da cidade, acima de dezesseis anos, tenham agora o conhecimento salvador de Jesus Cristo."

Que este tempo venha para o nosso bem! E, sobretudo para a glória de Deus!

5 comentários:

Paulo Brasil - Atraves das Escrituras disse...

Amado Pastor,

em parte compartilho sua indignação.

Mas, ao folhear os textos sagrados, não percebo qualquer esperança para avivamentos, principalmente no âmbito nacional.

Se Deus imprimiu em nossos corações - por Sua Palavra - a vinda da apostasia, a deserção da fé que textos bíblicos poderiam orientar tal esperança?

Em Cristo

tania disse...

O que mudaria a cara desse pais é vergonha na cara de muitos e muitos que tem por ai nos seguimentos politicos e religiosos,Isso mesmo, R-E-L-I-G-I-O-S-O-S, homens e mulheres que dizem ser de Deus e andam soltos por ai jogando agua em toda brasa que vê pela frente.
Que Deus tenha misericórdia de todos nós.

tião disse...

Meu querido pastor Ezequias, o verdadeiro avivamento começa com a palavra de Deus que diz: Salmo 51:17" Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezaras, ó Deus. Isaias 57; 15 Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita na eternidade, e cujo nome é Santo: Num alto lugar habito, e também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos, e para vivificar o coração dos contritos. Na Bíblia mostra que Saul errou menos que o Rei Davi, mas havia uma diferença que nos dias de hoje pouco se ver. Davi homem segundo coração de Deus, adulterou e planejou um homicídio. Saul não esperou o sacerdote para o sacrificio. Quem errou mais? Só que Davi sacrificava e humilhava-se para Deus. Saul sacrifica para o povo. Por isto Davi vivia um verdadeiro avivamento, Saul ate buscar ajuda nos mortos fez. Não é isto que acontece hoje? Se buscarmos no homem jamais teremos um avivamento Só em Cristo teremos tudo. Fica na Paz.

claudio disse...

Concordo em genero e grau, o que estamos vendo no brasil infelizmente e um falso evangelho crescendo . lideres maniacos por grana, poder,numeros, e o pior de tudo , a maioria prega mentiras ou seu proprio nome, na tv mesmo so vejo o Hernades dias lopes pregando o evangelho

Henri disse...

A maior demonstração de avivamento foi após a leitura da Bíblia quando Esdras a leu.
Hoje estão na onda genérica querendo avivamento através de cânticos e da fofoca. Da fofoca porque ficam comentando sobre falsos avivamentos.
Mas a preguiça de ler impede que os "crentes" tenham acesso ao Propósito divino porque a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. Também com essa onda de entretenimento que invadiu as Igrejas não sobra quase tempo para que a Palavra de Deus seja explanada de maneira que se entenda a vontade de Deus. Como consequência temos o "amortamento", porque o avivamento dessa maneira é impossível de acontecer.
Dc. Henri.