quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

FRACO FORTE! FORTE FRACO!

"Se você se julga fraco, limitado ou comum, você é o melhor material através do qual Deus pode operar".

Todas as vezes que encontramos o Senhor Deus convocando alguém para uma obra extraordinária, ele se utiliza  de pessoas comuns, triviais, corriqueiramente reconhecidas pela quietude e simplicidade de vida. Foi assim com Moisés! Embora ele tenha sido educado na mais alta corte de seu tempo, na Universidade do Egito, onde, de acordo com o autor aos Hebreus, ele era chamado de "filho da filha de Faraó". (Hebreus 11.24)

Moisés é tipo de um líder que, embora devidamente preparado em sua ideologia ainda patina no quesito "quebrantamento". Esse entendimento eu devo em parte aquilo que tenho aprendido com Watchaman Nee em seus livros, sobretudo o que estamos estudando com a igreja, "Autoridade Espiritual". Transcrevo aqui suas palavras:

"A autoridade vem de Deus, não de nós mesmos. Somos apenas mordomos de sua autoridade. Essa percepção capacita-nos a receber autoridade delegada. Sempre que tentamos exercer a autoridade como se fosse nada, somos imediatamente despojados dela."

Dai então eu aplico o principio "fraco forte e forte fraco", e esmiúço da seguinte forma: quando o homem que está em evidência de liderança pensa de si mesmo mais alto do que convém, esquecendo-se de que ele é servo e não dono das pessoas ele perde automaticamente a sua autoridade espiritual. Ele pode continuar na chefia, no pastoreio, no comando... mas já perdeu a benção de estar trabalhando onde Deus está agindo! Ele passa a ser um pária em sua vida espiritual, um errante, como Caim!

Cabe ao lider pastoral ou não estar muito ciente desse importante ponto, e re-afirmar constantemente sua dependência em relação ao Senhor, custe o que custar! Mesmo que essa tomada de posição o leve a passar por crises fortíssimas de fé, onde ele certamente só encontrará abrigo no colo caloroso do nosso Senhor! Em suma: quem precisa impor sua autoridade é porque já a perdeu! Liderança bíblica é oportunidade para servir mais e não para massacrar pessoas!

Essa é uma das razões que eu odeio o movimento "G12" e suas corruptelas neo-pentecostais! Pois, no bojo dessas invencionices eclesiásticas está o desejo de mandar, de ser "cobertura espiritual", de manter as ovelhas no cabresto (como gado!). Em minha pobre (já foi mais rica! de valores, eu digo!) denominação eu convivo com pastores que, para manter suas ovelhas agaiolhadas, despejam mantras e maldições àqueles que ousarem ouvir um pastor tido como "tradicional". Já vivemos como Batistas sob o regime do horror ao conservador e bíblico! Parodiando o hino do Santos Futebol Clube: "agora quem dá bola são os neo-pentecas!".

Uma lástima!

Um comentário:

Thalita disse...

Muito boa palavra! Gostei muito e indentifiquei vários pontos em comum... Que Deus continue te abençoando Pr.Ezequias!