quinta-feira, 16 de setembro de 2010

"EU SOU O CANDIDATO DA FAMILIA!"

É o que eu ouço de várias candidatos que desejam adquirir alguma credibilidade sem apresentar contudo, propostas concretas de defesa dos valores familiares em suas plataformas eleitorais. São homens que se identificam assim justamente para conseguir simpatia em um segmento que vem crescendo a cada ano, e com isso, atraindo os mais variados tipos políticos: a igreja evangélica.


Não vou entrar no mérito de cada candidatura que tem esse mote promocional, mas quero aqui lançar alguns desafios aos meus leitores, faltando 16 dias para as eleições. É fato incontestável que a familia vem sofrendo ataques de variadas fontes nos últimos tempos! Temos de votar em candidatos que tenham propostas que vão na direção do fortalecimento das tradições, e não daqueles que querem a qualquer custo a liberação das drogas, do aborto e do homossexualismo. Temos de ser criteriosos na hora do nosso voto! 


O voto acaba sendo uma arma que você pode usar tanto a favor quanto contra você! O brasileiro em média tem uma relação prostituída em relação ao seu voto. Tudo vale para servir de troca de um precioso voto! O telhado de uma casa, uma consulta no hospital público, uma cesta básica, um emprego temporário, um valor em dinheiro para se ter a placa na frente da casa, enfim o que mais temos nesse país são eleitores-prostitutos!


Quero aqui externar a minha concordância com o artigo escrito por Paulo César Carbonari, "voto, cidadania e direitos humanos" em que ele expõe o seguinte: " Assim como no ato da compra de um sapato, por exemplo, este objeto deixa de ser da loja e passa a ser do comprador, se o voto for vendido, o poder de escolher e de dizer sempre o que o eleitor quer para seu município fica prejudicado. Vender voto é vender poder. É vender a possibilidade de discutir, de concordar e de discordar com tudo aquilo que vier a ser feito por quem for eleito. De outro lado, comprar o voto dos eleitores é demonstração clara de desrespeito com a cidadania, de falta de compromisso com a comunidade, de que o candidato só quer representar seus próprios interesses, quando não interesses de grupos."


Tome cuidado com o seu voto. Ele é um dos seus bens mais preciosos!

3 comentários:

bethangra disse...

Candidatos da família do inferno, são os que vejo, vendem seus votos porque tem quem os compre.
O povo se prostituí por qualquer coisa para se dar bem, e não é só com eleicões, é o famoso jeitinho brasileiro, a Lei de Gérson aplicada em todos os segmentos da sociedade.
Dilma é discípula do Lula que além de não ter ética alguma tem o apoio do Hugo Cháves, e de comunismo disfarçado em democracia não precisamos; Serra tem a mesma linha de conduta do FHC, que nos enterrou após o golpe mortal do Collor; Marina é uma despreparada politicamente e totalmente descompensada quando trata de religião, sobra quem? Deputados e senadores.
Não adianta olhar para o céu com muita fé e pouca luta.
Estamos perdidos com esses candidatos!

Anônimo disse...

È pastor aqui em SP não é nada diferente pessoas vivem na base do tamala-daca, até o (tiririca comediante e palhaço e candidato a dep.ferderal e esta em 3º lugar ta pior que na epoca do coronel vota em quem eu mando. não é isso que o Lula esta fazendo com a maquina publica ( voto Marina com certeza) vote nela é o mesmo que vote nele. ( Salmos 20: 7 Uns confiam em carros e outros em cavalos ,mas nos faremos menção do mone do Senhor nosso DEUS.)

Marcos Sampaio disse...

Ah! Se o Brasil tivesse uma política com princípios enormemente bíblico...

Um forte abraço,
Marcos Sampaio

P.S. Nos ajude a divulgar o evangelho histórico da fé cristã em seu blogroll:
http://ideiasprotestantes.blogspot.com
[Blog Idéias Protestantes]