sexta-feira, 21 de maio de 2010

AINDA SOBRE UNIDADE!

Na igreja nem todos pensam igual, e isso acontece porque somos pessoas com histórias e pensamentos diversos, mas temos de andar na mesma direção! E disso não abrimos mão: temos de construir nossa unidade na diferença! Martin Luther King certa vez disse: aprendemos a viver juntos como irmãos ou morreremos juntos, mas como loucos!

Só que o grande desafio da unidade é caminharmos juntos, na diferença, mas sem nos ferirmos tanto, ou melhor, prosseguirmos a despeito das feridas impostas a nós pelos outros e outras que desferimos em relação aos nossos companheiros caminhantes.

Isso me faz lembrar a seguinte história: Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio. Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente, mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor. Por isso decidiram se afastar uns dos outros e voltaram a morrer congelados, então precisavam fazer uma escolha: Ou desapareceriam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros. Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos. Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro. E assim sobreviveram.

A Bíblia em todo o tempo nos fala do valor da unidade. É clássico pensar no próprio Deus como uma experiência de unidade que deu certo, afinal Ele é em si mesmo três! O Pai, o Filho e o Espírito Santo formam uma comunidade onde não há diferenciação essencial, reinando um amor mútuo e uma presença em unidade perfeita!

Na igreja o que precisamos viver em todo o tempo é a compreensão com as faltas do outro, a admiração pelos que são bem mais sucedidos que nós e a imitação zelosa para com aqueles que nos são referenciais de graça e piedade. Foi assim que o Senhor Jesus suspirou em sua famosa oração de João 17: “Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste”.

Na realidade falta muita flexibilidade na nossa consideração em relação ao nosso irmão. Alguém já disse que o choque entre os cristãos se dá em uma de duas formas: como o encontro de duas bolinhas de gude ou como o confronto de duas uvas; em um há o choque que espalha um para cada lado e, no outro há o amalgamento perfeito para que o vinho nasça saudável e saboroso! Tenho pensado que há muitos crentes "bolinhas de gude", pessoas que se chocam, se batem, se resvalam de um lado para outro com intolerância extremada! E, o grande desafio que fica é sermos mais uvas! Cachos mesmo, que se unem, se misturam e se tornam saboroso para Deus!

Estou persuadido em meu espírito que precisamos ser mais unidos! Mais tratáveis! Mais unidos! Ontem mesmo estava ministrando uma mensagem em nossa igreja quando me apercebi que o texto de I Corintios 2.16 diz, "mas nós temos a mente de Cristo." Repare na ênfase que estou dando: "nós temos"! A mente de Cristo não é prerrogativa e dominio absoluto de uma denominação, de um clero apostólico, de uma santarrão perversamente megalomaníaco, mas sim da expressão comunitária do povo de Deus: "nós temos!"

Que a mente de Cristo, expressada e vivenciada na unidade do corpo da igreja do Senhor Jesus na terra, mesmo infestada por "comunidades", "projetos" e "ministérios independentes" venha crescer em santidade e beleza, e assim: "Que o Senhor nos abençoe em nossa fraterna unidade!"

É o que penso e desejo sinceramente!

Um comentário:

fernandogomespr disse...

Fala-se muito nessa unidade,e o que todos nos esperamos é realmente isso,mas como seremos unidos,se apontamos nossas armas uns para com os outros se vivemos em guerras tentando provar que somos os melhores,ao invés de nos unirmos, nos afastamos cada vez mais.Tenho aprendido que igreja e comunhão,tenho pregado isso e tenho buscado viver isso em nossa igreja,Paulo diz em 1 tessalonicenses 5.12,E rogamo-vos irmãos que reconheçais,os que trabalham entre vos e que presidem sobre vos no Senhor,como também o fazeis. Esse é o tipo de lider bíblico. que esta entre,com, igual ao povo no meio do povo é assim que tenho feito estando no meio e com o povo eu demonstro comunhão e convivência sem isolamento,o povo precisa saber que pode contar conosco e nós com eles se todas as denominações fizessem assim seriamos igrejas muito melhores.