quinta-feira, 19 de novembro de 2009

UNIDADE SIM, MAS SOMENTE COM A BÍBLIA NA MÃO!

Não podemos em hipótese nenhuma caminharmos no ímpeto de buscarmos a "unidade a qualquer preço" se queremos ver em nossa geração um genuino avivamento acontecendo. Creio que precisamos aprender a nos separarmos antes de seguirmos o caminho da unidade.

Charles Spurgeon, grande pregador do séc. XIX viu-se em seu tempo numa questão que tem sido considerada como uma grande controvérsia! Há quem diga que por causa dessa luta que ele travou já no fim de seu ministério que ele acabou desperdiçando (será?) seus melhores dias!

Usando uma expressão que saliento de uma postagem de meu amigo, Juan de Paula (juandepaula.blogspot.com) cito aqui o escritor Iain Murray que destacou que "logo no começo da controvérsia do [declínio], Spurgeon declarou que os evangélicos tinham que enfrentar uma política que nos forçaria a subordinar a manutenção da verdade à prosperidade e unidade denominacional” (MURRAY, O Spurgeon Esquecido, PES, p. 187-188). Ali vários colegas de Spurgeon adotaram uma política de acomodação em detrimento da verdade evangélica da inerrância das Escrituras.".

Não podemos "abrir guarda" em relação à autoridade das Escrituras Sagradas. Até mesmo porque avivamento que não leva a sério o alicerce da Palavra de Deus é avivamentalismo inconsequente, é "show da fé" e não fé alicerçada nos valores eternos de Deus.

Fico impressionado por saber que em toda a história dos avivamentos genuinos a Bíblia foi redescoberta, valorizada e prestigiada, e em nenhum momento aqueles que levaram a Bíblia a sério voltarão com mãos vazias quando, diante do trono de Deus, suplicavam favor e graça para os seus dias.

Foi assim em todo o tempo! Destaco nesse artigo o que aconteceu no tempo do rei Josias, no sec. VII a.C. O livro de Deus andava esquecido, abandonado, paradoxalmente esquecido na casa de Deus! Em sua descoberta, houve o avivamento, o retorno às "veredas antigas". (II Reis 22.1-23.30).

Está na hora de levarmos mais a sério a Biblia. Pois ela o livrará do pecado, ou o pecado lhe livrará dela!

Unidade com outros pastores e igrejas? Quero. Mas, desde que eles creiam e pratiquem a autoridade das Escrituras e não sejam levianos, sectaristas e charlatões da fé! Logo descarto de cara unidade com neo pentecostais misticos, pentecostais soberbos e tradicionais formalistas e carnais! Chega dessa gente! Quero unidade com quem é de Deus!

6 comentários:

Filipe Bento disse...

Ezequias muito bom seu blog! Glórias a Deus por isso! Citar Spurgeon e a necessidade da volta das Escrituras já é suficiente pra que eu vire seguidor! hehe
Se achar que vale a pena de uma olhada no meu recém-nascido blog (http://discutindoabiblia.blogspot.com) se quiser siga-me no tweeter tb (@BentoFilipe). Um grande abraços e continue firme pregando a verdade! Deus será glorificado!
Abraços!

Gilberto de Souza disse...

No mundo inteiro, nada é mais importante do que a verdade. E a igreja deve ser "coluna e baluarte da verdade" (1 Timóteo 3.15). A história está repleta de relatos de pessoas que preferiram a tortura ou a morte a negarem a verdade. Hoje, boa parte da igreja visível parece imaginar que os cristãos devem estar numa diversão, e não numa guerra. A idéia de lutar em favor da verdade doutrinária é algo bem distante do pensamento da maioria dos frequentadores das igreja. Precisamos mudar - com a verdade, este quadro lastimável. Parabéns pastor Ezequias pelo maravilhoso artigo! Abraços!

rosangela disse...

Graças a Deus temos a oportunidade de ler artigos como esse, nada apelativo, muito reflexivo, enfim pregando a verdade que liberta.
Receba o carinho e admiração de sua ovelhinha

maria disse...

Concordo plenamente com as observações do amado Pr. Há muito comodismo relacionado a uma tal "unidade" sem, contudo, manter preservados os princípios Bíblicos. A Palavra de Deus é a Verdade, é primordial, não pode ser esquecida, antes difundida e praticada.Queiram os homens ou não, temos que voltar aos princípios.A Paz

Leonardo Almeida disse...

Pastor, relevante para nosso tempo, pois somos bombardeados com o discurso do ecumenismo. Concordo que não dá para comungar com estes que tem banalizado as escrituras. Em nome da unidade somos tentados a viver longe da verdade. Que a verdade nos una, ou nos divida.

Ana Paula Esquivel disse...

Olá pr. queridão

É, não dá para sermos "políticos" quando o assunto é a Palavra de Deus.
Banalizar as escrituras é uma afronta a Deus. Como teremos unidade se desprezarmos a Verdade?

Deus o abençoe sempre!