sábado, 21 de junho de 2008

A PROPÓSITO DA VINDA DE RICK WARREN AO BRASIL: MINHA DECEPÇÃO COM “IGREJA COM PROPÓSITOS”!

“O que a igreja precisa hoje não é de mais ou melhores mecanismos, nem de nova organização ou mais e novos métodos. A igreja precisa de homens a quem o Espírito Santo possa usar homens de oração, homens poderosos em oração. O Espírito Santo não flui através de métodos, mas através de homens. Ele não vem sobre mecanismos, mas sobre homens. Ele não unge planos, mas homens. Homens de oração”. (E. M. Bounds)

Em 2005 escrevi um desprentecioso artigo em meu antigo blog (www.ezequiasangra.spaceblog.com.br) onde comento de minha experiência fatídica com o modelo de crescimento de igreja denominado “igreja com propósitos” com base nas argumentações de Rick Warren, pastor de uma igreja norte americana bem sucedida (aos moldes contemporâneos). Nesse artigo eu comentei dentre outros princípios o fato de que “igreja com propósitos” fragiliza a base de ensino bíblico na igreja, uma vez que privilegia a forma e despreza a essência do evangelho que envolve renúncia.

Nas minhas palavras daquele tempo, cito integralmente aqui um excerto do artigo:

“Como igreja local alcançamos píncaros incríveis de crescimento, mas como o discipulado é fraco em qualquer "método de crescimento de igrejas", isso eu digo por que o que se chama de "discipulado" lá na realidade é muito mais um conjunto de princípios para manter no "cabestro" as pessoas, de preferência divirtindo-as e dando-lhes muito entretenimento, do que na realidade "todo o conselho de Deus", que quase sempre não agrada aos ouvidos, porque é palavra que discerne bem os pensamentos e as intenções do coração (Hebreus 4.12). O que me aconteceu foi um duro golpe. Em 2005 eu vivi um ano em que a "transição quase mortífera" estava em pleno vapor. Passei a me "enquadrar" aos ditames de "uma igreja com propósitos", com todo o seu caro aparato de revistas, apostilas, eventos pontes, mensagens enlatadas (eu me arrependo de ter pregado muitas delas!), encontros e tudo o mais. Mas, Deus infligiu a mim um duro castigo. Eu vi a minha liderança desabar com o surgimento de uma mentalidade liberal dentro da minha equipe ministerial. Um líder bem próximo a mim (desfrutando inclusive de minha amizade pessoal) passou a transitar no meio de nossos jovens, adolescentes e casais com um "novo evangelho".”.

Ponho-me a analisar alguns pontos para mim cruciais em minha decepção com “igreja com propósitos”:

01) Só consegue desenvolver um trabalho que seja consistente trabalhando nesse método quem conseguir arrecadar dinheiro, isso mesmo, recursos financeiros à exaustão.

Tudo é muito caro! E de repente, começou-se a cobrar por tudo, cada suspiro de Rick Warren vale uma nota! A impressão que eu tinha é de que em não participando das caras conferências não se poderia jamais trilhar um caminho que fosse condizente com os princípios orquestrados pelo livro. Tudo girava em torno de campanhas que tornaram em pouco tempo o “uma vida com propósitos” o maior best seller da história evangélica no Brasil! Nenhuma apostila poderia ser copiada (baixada da internet, impossível!), tudo precisava de excessiva burocracia para fazer valer os direitos autorais e tudo o mais. Nada de visão de Deus, tudo artimanhas de manipulação financeira!

02) “Igreja com Propósitos” divide pastores e igrejas nas mais diversas denominações evangélicas.

Há na cabeça de cada líder que trabalha nessa metodologia a inquietação de que sua mentalidade de igreja é superior aos dos demais. Há até uma expressão que é bastante usada por um líder deles quando se refere à visão de igreja tradicional, ele a chama de “visão pretérita”. Em suma, eles jogam no lixo da história o modelo da igreja protestante que chegou ao Brasil em 1855 com Robert Kalley e simplesmente admitem ter reinventado a roda, e que antes de Rick Warren, o que se vivia era pretérito (nada perfeito!).

03) A Bíblia é meramente um livro de consulta superficial na estrutura de pensamento de “Igreja com Propósitos”.

Não há mensagens expositivas, todas elas são temáticas, usando textos isolados, hermenêuticas confusas e aplicações utilitárias, a preocupação com as mensagens não é que elas dizem algo de errado, mas sim que elas não dizem tudo que é certo! Há uma seleção de temas, onde assuntos políticos, morais e existenciais tem primazia às questões de pecado, santidade e vida com Deus.

Por fim, neste curto artigo só quero reafirmar o que eu disse há 03 anos atrás, e por ocasião da vinda do Rick Warren ao Brasil, quero desejá-lo boas vindas, mas deixar registrado que nem todos aqui, os que foram enamorados pelo “canto da sereia” de suas pontuações brilhantes ficaram sem refletir acerca do método, e que eu compreendo que “igreja com propósitos” é coisa de homem e não de Deus, e logo, com o tempo será tomado por um outro método, que será por outro e assim por diante, até o momento em que os homens e mulheres de Deus nesse país deixarem de importar modelos para apresentar ao povo sedento de nossas igrejas a orientação certa e segura das Escrituras.

Termino com as palavras registradas nas Escrituras de II Pedro 1.20,21: “sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo”.

(Ezequias Amancio Marins, pastor titular da Igreja Batista Central em Japuiba, Angra dos Reis, RJ).

6 comentários:

Nome: Gilberto de Souza disse...

estamos vivenciando uma época de crise de identidade. Estamos perdendo a noção de quem somos e de nossa missão neste mundo. métodos e modelos tentam desviar nossa atenção do central (Jesus) para um evangelho barato sem vida, aliás, sem própósito. Pastor, seu artigo só vem reforçar dentre muitas coisas, nosso compromisso não com modelos ou formas, mas com o próprio Deus através de sua santa palavra.

Claudio Santos disse...

Ao Pastor decepcionado e no Deserto... O que poderia dizer de sua dissertação decepcionada e que em nada soube usar aquilo que Deus permitiu que ele entrasse, conhecesse, errando no seu rumo/desempenho ministerial? Falta de Leitura? Ingenuidade Pastoral? Grandioso conhecimento Hermeneutico? Ou, Profundo conhecedor de Eclesiologia devido a sua formação no exterior? Infelizmente as palavras do Amado Pastor perde-se em suas palavras pq parece ser o único no Brasil a descobrir sobre o "custo Brasil" ou será que ele doa tudo em sua igreja? Ou será que ele quando vai a SBB para comprar Bíblias recebe-as em doação? Ou será que seus eventos são doações ao povo arrecando valores que ajudam construir seu novo templo? Depois de tantas indagações, entendo que este artigo é um desabafo ou uma valvula de escape que muitos adolescentes usam para justificarem seus descompassos, inclusive, esta patologia expressa no artigo é comum a diversos pastores que de alguma formam tem dificuldade de olhar para seus umbigos e chegarem a conclusão de que erro faz parte natural da busca em acertar o caminho que Deus quer que sigamos, classificar Igreja com Propósitos como nao sendo inspirado por Deus é no minimo um descuido em suas tão inocentes palavras, que não as são. A capacidade de julgamento do amado escritor é digna dos Cristãos Puritanos ou dos Fariseus tão combatidos por Jesus em sua época. Entristece-me ver alguem que comeu do pão, cuspir no prato que utilizou, cuspir no prato que orou, chorou, levou sua igreja a crer, incentivou... Acharia digno para terminar, que a sabedoria do silencio seria a melhor resposta, deixando com Deus o caminho que ele saberia encaminhar, não tendo uma atitude tão adolescesca para um líder que ainda tem muito o que aprender....

Do amigo

Claudio Santos (IBOS)

Pr. Marcos/ USA disse...

Querido Pr.
Meu nome é Marcos.
Sou um grande defensou da Igreja com Propositos, pq fui abencoado por tudo que aprendi la nas conferencias.
O que me pergunto é: É correto usar um site para se falar mal de um ministério?
No Brasil é asso que se faz envangelismos hoje?
Pq querido , a maioria dos sites que entrei desde de segunda feira so encontrei criticas sendo feitas a pastores e ministerio.
Entao me pergunto...no Brasil se mudou a forma de evangelismo? Querido so preciso entender.
Marcos /USA

Derly Jean disse...

irmão pode-me mandar seu artigo completo!
obrigado Pr jean de Cuiba -MT
enail: derlyjean@gmail.com

Andre Almeida disse...

Apesas do meu conhecimento não ser profundo sobre o assunto mais adorei o comentário, se for possível mande-me completo o artigo a paz.
Pr André Almeida
andreisaac@bol.com.br
igrejapescar@bol.com.br

Jeuel Targino disse...

...Só acho que ninguém na minha igreja deixa de participar de nada por causa de dinheiro. Sim isso mesmo, somos uma igreja com propósitos, propósitos bíblicos, não com propósito de criticar outras igrejas, o que virou um hábito anti-evangelista entre os evangélicos. Sobre o contexto do Rick Warren ele é norte-americano e Pastor de uma igreja norte-americana, não é questão lucrativa não, é que nos estados unidos ninguém sai distribuindo PDFs, cópias, etc, de quaisquer coisa não. É proibido lá, direitos autorais é coisa séria nos EUA, diferentemente do Brasil, que tudo se copia e joga na rede ou distribui. Então esse caso é uma questão cultural. Pois bem estudem antes sobre a vida e obra de Rick Warren, profeta de Deus que foi usado para levantar multidões e recuperar a igreja esquecida que é a igreja primitiva deixada por Jesus Cristo em sua primeira vinda.